Conseguir a entrevista que pretende: Parte I

Conseguir a entrevista que pretende: Parte I

Muitas pessoas têm dúvidas sobre como escrever um currículo e acabam por cometer erros simples que os prejudicam na hora de conseguir a tão desejada vaga. Por isso, vou aqui esclarecer alguns pontos importantes.

Dados pessoais – As empresas não precisam saber no primeiro contacto as informações referentes aos seus documentos, na verdade isso até pode ser perigoso para si. Por isso, coloque apenas os seguintes dados: Nome completo, números de contactos, e-mail, morada, nacionalidade, dados do Skype e LinkedIn.

Formações – Coloque as suas formações em ordem decrescente, para que o recrutador não tenha a percepção de que a sua última formação foi a muito muito tempo atrás.

Experiência – A sua experiência profissional é muito relevante para o processo de recrutamento, porém se tiver uma longa experiência e for detalhar tudo, o recrutador possivelmente não irá ler todas as informações, uma vez que o mesmo recebe muitos currículos para uma única vaga. Por isso, é importante fazer um resumo da sua experiência para que o recrutador tenha acesso a todos os seus conhecimentos e habilidades. E no detalhamento das experiências profissionais listar as atividades das 03 (três) últimas experiências profissionais em ordem decrescente, a começar pela última.

Conhecimentos – Este campo deverá ser preenchido com as competências que de fato possui e que são relevantes para a posição em que está a se candidatar.

Hobbies – Esta é uma informação que cada vez mais aparece nos currículos, porém muitas vezes nos deparamos com coisas que não fazem sentindo para colocar em um currículo profissional. Por isso, tenha cuidado se quiser inserir esse tipo de informação, pois ele pode prejudicar uma análise ao fazer o recrutador criar um estereótipo do candidato. Na minha opinião não contribui para a escolha do candidato.

Um currículo deve ser conciso, mas com informações suficientes para uma boa análise, por isso o indicado é ter no máximo 02 (duas) páginas. Se for possível ter apenas uma é ainda melhor, mas se isso for te fazer não ser claro, não tenha medo e faça duas páginas, mas não mais do que isso.

De maneira geral é preciso ser verdadeiro ao inserir informações no currículo, para que nas etapas seguintes você possa falar sobre suas habilidades e experiências com convicção, e assim o recrutador consiga confirmar as primeiras impressões que teve ao ler o seu currículo. Se um currículo não for verdadeiro, dificilmente esse candidato irá conseguir avançar num processo seletivo a ponto de ser contratado, uma vez que não conseguirá sustentar aquilo que ele não possui ou conhece.

Espero que tenha aproveitado a leitura e desejo-lhe Sucesso!

Rubrica ││ Rafaelle Colares – RH Consultant na Interfaces Portugal